domingo, outubro 30, 2005

Tripeiros com gosto!

Quem visita o Porto ao voltar a casa leva quase sempre duas boas recordações: a amabilidade e o gosto em receber - uma característica das gentes do norte, e a excelente gastronomia que por cá se faz que não é mais do que o resultado do gosto pela boa mesa cultivado pela maioria dos habitantes da Invicta.
.

Mercado do Bolhão - mercado tradicional no centro da cidade

O resultado da combinação destas duas características originou um ícone cultural e uma iguaria gastronómica que acabou por gerar a alcunha da gente da Invicta – os Tripeiros!

As famosas “Tripas à Moda do Porto” nasceram no séc. XIV. Foi por altura da construção das naus, que mais tarde haveriam de ir à conquista de Ceuta, nos estaleiros do Douro (em Massarelos, em Miragaia, no Ouro, etc.) que o prato surgiu. Tendo as naus sido construídas foi necessário equipá-las de material e mantimentos para muitos meses de mar. Para tal os homens do Porto da época abateram todas as reses e mandaram as carnes salgadas para apoiar o esforço dos Descobrimentos e as expectativas de expansão do Império tendo ficado a Cidade apenas com as miudezas.

.
A receita apesar das actualizações mantém-se viva e não há tripeiro que se preze que não goste de "tripas à moda do Porto" continuando por isso a ser um dos pratos mais comuns nos muitos restaurantes espalhados pelo Porto.

Restaurante tradicional na Sé do Porto

2 comentários:

Suzy disse...

Eu neste âmbito sou mmmmmmmuuuuuuiiiiittttttoooooo suspeita, infelizmente (ou felizmente!!)... é que eu sou LOUCA por TRIPAS!!!!!!

Elas é enfarinhadas, à Moda do Porto, nos rojões, de qualquer maneira!!!!!

E só por causa deste post... ficas-me a dever uma grande TRIPALHADA!!!!

;) Mil beijinhos!!!

(Não dês tripas ao André!!! É que ele sofre de gases e sabes como é... as tripas vêm acompanhadas de feijão!!!!)

Suzy disse...

Mas falando a sério... tenho orgulho em ser uma verdadeira Tripeira!

E não sei se não havera mta gente que nem sequer conhecia o porquê de nós aqi no Porto termos esta alcunha!

Será que em Liboa sabem, já agora, porque se chamam alfacinhas?