segunda-feira, outubro 17, 2005

Passeio Alegre...




Chegaram tarde à minha vida
as palmeiras. Em Marraquexe vi uma
que Ulisses teria comparado
a Nausica, mas só
no jardim do Passeio Alegre
comecei a amá-las. São altas
como os marinheiros de Homero.
Diante do mar desafiam os ventos
vindos do norte e do sul,
do leste e do oeste,
para as dobrar pela cintura.
Invulneráveis — assim nuas.

Eugénio de Andrade
Rente ao Dizer (1992)
In Poesia

3 comentários:

FMSG disse...

Na 6ª feira estive por lá... é, de facto, um "mini-pulmão" com um ar extremamente saudável! E a paisagem... meu Deus... é a 2ª entrada do Paraíso (a 1ª é a entrada do Parque da Cidade)!

Bjs!

RA disse...

Paisagens, quero-as comigo.

Paisagens, quero-as comigo.
Paisagens, quadros que são...
Ondular louro do trigo,
Faróis de sóis que sigo,
Céu mau, juncos, solidão...
Umas pela mão de Deus,
Outras pelas mãos das fadas,
Outras por acasos meus,
Outras por lembranças dadas...

Paisagens... Recordações,
Porque até o que se vê
Com primeiras impressões
Algures foi o que é,
No ciclo das sensações.


Paisagens... Enfim, o teor
Da que está aqui é a rua
Onde ao sol bom do torpor
Que na alma se me insinua
Não vejo nada melhor.

Fernando Pessoa

Gelly disse...

Sem dúvida um passeio alegre!!
E para quer relaxar, sem perder o passeio de vista, recomendo o "Era uma vez o Porto" (ou algo assim). Fica mesmo ao lado do 31 e vale a pena pelo chá, pelo espaço, pela vista... por tudo!
Beijos chefinha